sexta-feira, 5 de setembro de 2008

No Pain, No Gain!

Só para continuar no assunto de Wushu.

Quarta-feira, quando saí da academia, tentei me balaquear para fechar uma porta com o pé, calculei mal a distância e bati o ombro com tudo na parede, depois de ter acertado meu cotovelo com o nuntchako e minha coxa com o cotovelo (não vou dar muitos detalhes, só digo que doeu). Já não sinto mais dor nenhuma.

Estas são apenas as lesões mais recentes. A pior de todas, pelo menos das que eu lembre, foi quando resolvi treinar uma hora de rolamentos, dois dias seguidos. Passei um final de semana inteiro prostrado em dor. Acho que já falei desse causo antes, mas cabe repetir. A segunda pior de todas não doeu no corpo, mas na minha alma masculina. Treinando Karatê, em dupla, resolvi complicar um pouco a técnica e oferecer resistência. Acabei levando um joelhaço no saco. Posso não ser tão sem-noção quanto alguns por aí, mas eu realmente não sei onde eu estava com a cabeça quando decidi que seria divertido ficar de palhaçada com uma faixa preta.

Uma coisa que o Kung Fu nos proporciona é tolerância à dor e alta velocidade na recuperação de machucados. Claro, depois de muito se lesionar e muito ficar chorando de dor.

2 comentários:

Lady Hell disse...

Geente, vocês se destróem nesses treinos, huahuahuahua
O bom é que essas histórias sempre me animam, ^^

Queria te indicar um blog.
http://soupararaiodedoido.blogspot.com/

Vê o q tu acha, já q tu não curtiu o Manuel do Cafajeste.

=*

Andarilho disse...

Lady, eu curto o Manueal do Cafajeste, o problema é que, quando eu leio os posts dele, eu descubro que sou mais mulher do que imagino! Muito bom esse blog aí. Curti o esquema de casos clínicos.