quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Paciência

Este semestre letivo será muito tranqüilo em termos de carga horária, pois além de estar cursando apenas 7 disciplinas, algumas delas terminarão mais cedo do que consta na grade de horários. Contudo, há um problema: tirando as eletivas, todas as cadeiras obrigatórias que tive até agora foram profundamente chatas. Em outros tempos, eu simplesmente sairia de aula, dormiria ou tentaria prestar atenção, para só então cair em sono profundo. Agora, estou desenvolvendo novas estratégias de coping... coping with fucking boring classes.

Não quero sair de aula nem dormir pois são estratégias ineficientes, pois posso perder informações importantes, e ainda queimar meu filme com o professor. Oh sim, já aconteceu anteriormente. Mas prestar atenção, pegar meu caderno e ficar escrevendo o que o PhD fica dizendo na frente do quadro negro não é uma opção digna. Tive que optar por um meio termo.

Já aprendi que, se não ficar fazendo alguma coisa, eu lentamente curvarei minhas costas, até que minha cabeça alcance a carteira e eu caia em sono profundo. Na primeira aula da semana, Ética, eu fiquei desenhando. Rabiscos aleatórios. Na segunda aula, Avaliação Psicológica, não tinha nada em mãos para me distrair, então fiquei balançando meu corpo para a frente e para trás, como um bom autista faria. Hoje, fiquei fazendo caligrafia com a mão esquerda. Escrevi todas as letras do alfabeto ad nauseam e alguns números. Sinceramente, acredito que até o final do semestre serei um exímio desenhista ambidestro.

Provavelmente serei abusado verbalmente por causa deste post, e serei chamado de "desrespeitoso", "inconseqüente" e "vagabundo". Mas em minha defesa, digo que estou em aula e ouvindo o que a professora diz. Apenas não dou a menor importância. De agora em diante, aulas obrigatórias são exercícios de paciência onde escuto recados.

3 comentários:

marceloduarte disse...

Seu lacaniano

Lobo da Estepe disse...

Hoje eu escrevi uam musica em Escoalr III

Anônimo disse...

"Desrespeitoso", "inconseqüente", "vagabundo".
Pronto, foste chamado como temias.